Romer Japonês

O vereador por Tangará da Serra, Romer Japonês (PV) apresentou o projeto de lei número 010/2021 que estabelece que todas as igrejas e os templos religiosos de qualquer culto sejam reconhecidas como atividades essenciais no município, especialmente nos períodos de calamidade pública, sendo vedada a determinação de fechamento total desses locais.

No projeto, o parlamentar pontua ainda que poderá ser realizada a limitação do número de pessoas presentes nos locais, de acordo com a gravidade da situação e desde que por decisão devidamente fundamentada da autoridade competente, devendo ser mantida a possibilidade de atendimento presencial. De acordo com a proposta, o Poder Executivo terá o prazo de 30 dias para regulamentar a lei, caso seja aprovada em sessão da Câmara Municipal, que será realizada na próxima terça-feira, 06 de abril.

“O próprio texto constitucional assegura a liberdade de crença e o livre exercício dos cultos religiosos, garantindo a proteção aos locais de cultos a as suas liturgias, sendo um direito fundamental de qualquer pessoa. As atividades desenvolvidas pelas igrejas e os templos se mostram essenciais, principalmente nos períodos de crises, porque presta um serviço de apoio espiritual, psicológico e social àqueles que buscam seu auxílio”, argumenta o vereador.

APOIO RELIGIOSO

No texto do projeto, Romer Japonês salienta que o advento da pandemia e com a necessidade do isolamento social, os comportamentos da sociedade mudaram drasticamente. “O medo se alastrou na vida das pessoas, aumentando os casos de ansiedade e depressão, bem como a violência conjugal. Ademais, várias famílias perderam os seus entes queridos, culminando sofrimento e dor”.

“Neste ponto, as igrejas e os templos religiosos possuem um papel fundamental na sociedade, pois leva a palavra e consolo a todas as pessoas indistintamente, proporcionando-lhes alívio a dor e ao sofrimento, dando conforto e força para enfrentar os obstáculos e turbulências, ministrando a fé e a esperança de dias melhores”, completa.