Vacinação contra a Covid-19, em Brasilia. Sérgio Lima/Poder360 25.01.2021

Vacinação contra a Covid-19, em Brasilia. Sérgio Lima/Poder360

 

Ao ser questionado pela imprensa, durante entrevista coletiva na última segunda-feira, 15, sobre o motivo de Tangará da Serra não estar participando do Consórcio Nacional de Vacinas das Cidades Brasileiras (CONECTAR), da Frente Nacional de Prefeitos (FNP), o prefeito municipal Vander Masson (PSDB) explicou que o Município possui dinheiro em caixa para a compra de até 150 mil doses de vacina contra a COVID-19, independente de fazer parte ou não do Consórcio.

“Nós temos recursos em caixa caso precisar comprar vacina. Podemos abrir mão de outros projetos e utilizar o dinheiro para a compra da vacina. Neste momento, o projeto mais importante é o ser humano. O Município tem caixa recurso para comprar entre 140 e 150 mil doses, que é o número de doses suficiente para imunizar a nossa população”, disse o prefeito ao responder o questionamento.

Vander explicou o motivo de Tangará da Serra não estar neste Consórcio. Segundo ele, a legislação atual permite que o Governo Federal confisque vacinas adquiridas por estados e municípios, ou seja, a União poderá confiscar os imunizantes adquiridos pelos demais entes federativos, mesmo estando em um Consórcio.

Mas, segundo o prefeito, caso o Governo autorize os municípios a fazerem a compra direta dos imunizantes, Tangará utilizará o recurso que tem em caixa para aquisição das doses necessárias e suficientes para vacinar toda a população.

“Se o Governo Federal autorizar e garantir que não irá confiscar, vamos comprar vacinas para imunizar nossa população contra a Covid-19. Não podemos entrar nesse Consórcio, comprar a vacina e o Governo confiscar”, informou o Chefe do Executivo Municipal.

Ele explicou ainda que as tratativas já iniciaram na última semana com as empresas do ramo, as quais exigem a compra de no mínimo 100 mil doses da vacina.

“Como temos em torno de 100 mil habitantes, duas doses seriam 200 mil doses e a quantidade mínima de pedidos são de 100 mil doses, e temos condições de comprar”, garantiu, afirmando que o investimento aproximado será de R$ 8 milhões, dinheiro que a Prefeitura tem em caixa.

Contudo, a data da possível aquisição não foi relevada, já que ainda depende da autorização do Governo Federal para isso.

“Assim que o Governo Federal sinalizar de uma forma positiva que podemos comprar e que ele não vai confiscar, nós vamos comprar a vacina de maneira isolada. (…) Vamos deixar alguns projetos relevantes, porque o projeto mais importante agora é o ser humano e assim iremos fazer”

Consórcio
Mais de 2,4 mil municípios do país manifestaram interesse de participar do Consórcio, uma proposta do consórcio é complementar ao Plano Nacional de Imunização (PNI) caso não consiga suprir a demanda nacional. EmMato Grosso são 30 municípios buscando essa adesão, entre eles os vizinhos Sapezal, Porto Estrela, Nortelândia, Diamantino, Brasnorte e Arenápolis, municípios pequenos, com menos de 100 mil habitantes e que não conseguiriam sozinhos adquirir a vacina.