O Médico tangaraense Ricardo Gonsales tem sido vítima de uma série de ataques cujo propósito é atingi-lo politicamente e impedi-lo de compor uma chapa que participe do processo nacional eleitoral que ocorre dentro do sistema Unimed. Supostos ‘adversários’ políticos de Gonsales estariam inclusive se utilizando de parte da mídia na capital, Cuiabá, como forma de promover ataques contra ele.

Ricardo Gonsales que é presidente da cooperativa em Tangará da Serra e diretor financeiro da Unimed Federação Mato Grosso, compõe chapa adversária à chapa da qual o presidente da Unimed Cuiabá, médico Rubens Carlos de Oliveira Junior faz parte no processo nacional eleitoral do sistema Unimed.

Exatamente após a confirmação de sua participação em uma chapa adversária à de Rubens, os ataques a Gonsales iniciaram de forma intensa. O médico tangaraense inclusive foi vítima de hackers que tiveram acesso às suas senhas de e-mails. “Fui atacado midiaticamente de forma covarde…na tentativa de carimbarem meu nome e dados pessoais a um fato midiático negativo”, informou através de nota divulgada em suas redes sociais.

Na mesma nota, Gonsales lamenta o fato de ser vítima de uma campanha de desmoralização de seu nome. O médico recentemente foi acusado por um jornal de Cuiabá de ter criado um e-mail falso que utilizou o nome do ex-ministro da Justiça, Sergio Moro, para fazer denúncias de crimes fiscais contra a Unimed Cuiabá, porém, ao ser vítima de hackers Gonsales teve seus e-mails e senhas vulneráveis. “Identificamos em minha conta Google provas de que minha conta e senha foram expostas a terceiros, bem como demais indícios robustos de violação cibernética, deixando claro que não foi a minha pessoa que encaminhou o citado e-mail em reportagem”, diz trecho da nota publicada pelo médico.

Ricardo Gonsales: Vítima de ‘trama política’

Ao expor toda uma movimentação política existente por trás do processo nacional eleitoral que ocorre dentro do sistema Unimed, do qual é adversário do presidente da Unimed Cuiabá Rubens Carlos de Oliveira Junior, o médico tangaraense Ricardo Gonsales tornou-se vítima de uma movimentação de bastidores cujo objetivo é impedi-lo de participar do pleito.

“Porque a exposição da Unimed Cuiabá dessa forma? Porque a diretoria não decidiu pela apuração interna e respostas formais aos órgãos competentes? A quem interessa a tentativa de me atingir? Tentar politizar qualquer questionamento que chegasse a Agência Nacional de Saúde? Tirar o foco do real problema para tentar ter nesse mandato uma assembleia de cooperados menos questionadora? Atingir adversários políticos e depois resolver com indenizações por danos morais?”, questionou Gonsales em nota, completando. “Todos esses apontamentos e muitos ainda que virão com certeza serão elucidados e a verdade irá prevalecer”.

Na mesma nota que publicou em suas redes sociais, Gonsales expõe diferenças pontuais entre ele e o presidente da Unimed Cuiabá. “Estamos nesse momento em processo nacional eleitoral e é reconhecido que eu e Dr. Rubens não pactuamos dos mesmos princípios e atitudes, muito menos da forma de gestão e resultados sociais e financeiros entregues a seus cooperados”, pontua.

Áudios revelam ataques sofridos por Dr. Ricardo

A reportagem teve acesso a áudios que revelam uma postura agressiva e ameaçadora do também médico Rubens Carlos de Oliveira Junior contra Ricardo Gonsales. Os áudios (veja abaixo) mostram as ameaças sofridas pelo médico tangaraense, praticadas pelo presidente da Unimed Cuiabá.

“A análise desses graves apontamentos poderá fornecer maiores informações de como tem sido a reação e perfil de quem estaria covardemente me atacando, manifestações que devem ser banidas do sistema dentre as quais venho arduamente confrontando com ele e provavelmente um dos motivos de tentar me enfraquecer. A postura ameaçadora, impositiva, agressiva e vergonhosa deve ser banida do sistema e assim acreditamos na apuração”, frisou Gonsales em nota.

Após receber as ameaças o presidente da Unimed Vale do Sepotuba registrou um boletim de ocorrência e encaminhou o material às autoridades policiais. Todo esse imbróglio também foi registrado pelo médico tangaraense em Ata Notarial.

Veja abaixo o conteúdo dos áudios, cópias da ata, do boletim de ocorrência e a mensagem enviada pelo Google, informando Ricardo Gonsales que suas 21 senhas de e-mails e redes haviam sido comprometidas.

 

 

 

 

 

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui