Covas abertas no Cemitério da Vila Formosa, na zona leste de São Paulo, na tarde de sábado (13) — Foto: VILMAR BANNACH/PHOTOPRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Por G1 SP — São Paulo

Como o cálculo da média móvel leva em conta um período maior do que o registro diário, é possível medir de forma mais fidedigna a tendência da pandemia.

O recorde anterior havia sido batido nesta terça-feira (16), quando a média móvel de mortes foi de 400 por dia. Durante o primeiro pico da doença em 2020, os maiores valores de média móvel de mortes não passavam de 270.

Nesta quarta, foram contabilizadas 617 novos óbitos em 24 horas, elevando o total para 65.519. O estado teve ainda 17.942 novos casos da doença confirmados nas últimas 24 horas. No total, São Paulo chegou a 2.243.868 casos de Covid-19 confirmados desde o início da epidemia. Nesta terça (16), o estado registrou o maior número de mortes em um só dia, 679.

Hospitais em colapso

 

Leitos do Hospital de Campanha Pedro Dell'Antonia, que atende pacientes com a COVID-19 no município de Santo André, na Grande SP, em março de 2021. — Foto: SUAMY BEYDOUN/AGIF - AGÊNCIA DE FOTOGRAFIA/ESTADÃO CONTEÚDO

Leitos do Hospital de Campanha Pedro Dell’Antonia, que atende pacientes com a COVID-19 no município de Santo André, na Grande SP, em março de 2021. — Foto: SUAMY BEYDOUN/AGIF – AGÊNCIA DE FOTOGRAFIA/ESTADÃO CONTEÚDO

A ocupação geral de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) nas redes pública e privada está em 89,9% no estado e em 90,6% na Grande São Paulo.

Na terça-feira (16), foram registradas 24.992 pessoas internadas no estado, sendo 10.756 em UTIs e 14.236 em enfermaria. O número total de internados vem batendo recordes todos os dias desde 27 de fevereiro.

Especialistas alertam para a possibilidade de colapso do sistema, já que a capacidade de criação de leitos, especialmente de UTI, é limitada.

Levantamento feito pelo G1 e pela TV Globo aponta que ao menos 77 pessoas com Covid ou suspeita da doença morreram na fila de espera por leito de UTI no estado.

O colapso da saúde também atinge a rede particular da capital paulista. Nesta terça, o secretário municipal da Saúde, Edson Aparecido, disse que os hospitais privados estão solicitando leitos do SUS porque não conseguem atender a demanda. “Algo inédito”, afirmou Aparecido.

O Hospital Israelita Albert Einstein afirmou nesta quarta que bateu recorde de internações por Covid-19. Segundo o hospital, 261 pacientes estão internados, sendo 125 em leitos de UTI e 54 entubados em ventilação mecânica.