Bolsonaro optou por cerimônia secreta para posse de novos ministros

MARCOS CORRÊA/PR

Foram oficializado os titulares da Casa Civil, Justiça, Defesa, Relações Exteriores, Saúde, AGU e Secretaria de Governo

 Do R7

O presidente Jair Bolsonaro empossou na manhã desta terça-feira (6), em cerimônia secreta, os novos ministros Luiz Eduardo Ramos (Casa Civil), Anderson Gustavo Torres (Justiça e Segurança Pública), Walter Braga Netto (Defesa), Carlos Alberto França (Relações Exteriores) e Marcelo Queiroga (Saúde).

Também tomaram posse os novos titulares da Secretaria de Governo, Flávia Arruda, que será responsável pela articulação política do Palácio do Planalto com o Poder Legislativo, e da Advocacia-Geral da União, André Mendonça, que volta ao cargo após passar menos de um ano à frente da Justiça.

A cerimônia serviu apenas para a oficialização dos nomes de Torres, Queiroga e Mendonça, que já haviam sido empossados em outros eventos secretos no gabinete de Bolsonaro na semana passada.

Pela segunda vez seguida, a cerimônia de posse seguida no Palácio do Planalto foi ralizada sem a presença da imprensa ou transmissão ao vivo pelos canais do governo, como costumava acontecer. De acordo com a Secom (Secretaria Especial de Comunicação Social), os novos titulares agradeceram, em rápidos discursos, suas escolha para o cargo e assinalaram suas prioridades.

As trocas nos Ministérios da Saúde e das Relações Exteriores ocorrem após pressão de parlamentares e empresários pela substituição dos antecessores, Eduardo Pazuello e Ernesto Araújo, que guiaram a reforma ministerial.

Na troca das cadeiras, a demissão do general Fernando Azevedo e Silva, da Defesa, motivou ainda a debandada no comando das Forças Armadas, com a substituição dos chefes do Exército, Marinha e Aeronáutica, que já tomaram posse.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui