Redação DS 

A data tem como objetivo conscientizar e orientar o paciente com doença renal crônica (DRC) quanto aos próprios sintomas, para que possa participar, de forma mais efetiva, na rotina da vida cotidiana

A Clínica de Hemodiálise de Tangará da Serra reuniu parte de sua equipe e pacientes nesta quinta-feira, 11, para comemorarem o Dia Mundial do Rim, que neste ano tem como tema “Vivendo bem com a doença renal”.

A data tem como objetivo conscientizar e orientar o paciente com doença renal crônica (DRC) quanto aos próprios sintomas, para que possa participar, de forma mais efetiva, na rotina da vida cotidiana.

“Quero agradecer a todos que participaram hoje desse dia tão especial”, agradeceu o deputado estadual João José de Matos, médico responsável pela fundação da Clínica de Hemodiálise em Tangará da Serra, que há mais de 11 anos é referência no Estado por seu atendimento humanizado e de qualidade para a população carente das regiões Médio-Norte e dos Parecis.

“Como sabem sou médico nefrologista e exerci a profissão por muitos anos, e estar hoje em Tangará da Serra na Clínica de Hemodiálise comemorando o Dia Mundial do Rim, foi algo inexplicável. Sempre tive amor a minha profissão, e até hoje me emociono ao encontrar pacientes que se tornaram grandes amigos, bem como, meus colegas de trabalho que não medem esforços para salvar vidas. Como Deputado sempre defendi a bandeira da saúde, pois sei da importância que é para o cidadão, ter acesso a uma saúde de qualidade”, completou.

Atualmente, cerca de 180 pacientes da região estão em programa de tratamento na  Clínica de Hemodiálise de Tangará da Serra.

Cuidados preventivos e diagnóstico precoce das doenças renais

Os rins são pequenos órgãos (de 10 a 13 cm em um adulto) localizados um de cada lado da coluna vertebral, abaixo das últimas costelas. Apesar de pequenos, eles são essenciais para a saúde do organismo. Dentre as muitas funções que exercem no corpo, os rins são responsáveis por eliminar as toxinas filtradas do sangue; pelo equilíbrio essencial do pH para que as enzimas e proteínas sejam processadas corretamente; pelo controle da água corporal, não permitindo acúmulo ou perda desnecessária; e pela produção de dois hormônios muito importantes: a vitamina D na forma ativa, que auxilia na saúde dos ossos, e a eritropoietina, que evita a anemia.
Sendo tão importantes para o organismo, é fundamental saber como cuidar bem e prevenir doenças nos rins, cujo dia mundial foi comemorado nesta quinta-feira, 11 de março. De acordo com dados da Sociedade Brasileira de Nefrologia, um em cada dez brasileiros sofre de doenças renais e, por isso, evitar ou tratar os fatores que as desencadeiam são as únicas formas de prevenção. “O ideal é realizar exames de sangue (creatinina e ureia) e urina de maneira regular, pois os sintomas podem demorar muito para aparecer e só irão se manifestar quando a função renal já está muito reduzida”, afirma a nefrologista Tereza Bellincanta Fakhouri.
Além de manter os exames em dia, a especialista alerta para outras medidas que podem ser adotadas para prevenir problemas renais. “Beber bastante água ajuda os rins a realizar o trabalho, assim como evitar alimentos ricos em sódio (sal). Os rins geralmente refletem a condição de saúde da pessoa e, portanto, controlar bem doenças crônicas como diabetes e hipertensão arterial faz parte do cuidado com esses órgãos. A atenção com a alimentação e a prática de exercícios físicos regulares são ótimas medidas para quem quer cuidar bem dos rins”, reforça Tereza.
A idade também provoca uma perda de função renal, esperada com o envelhecimento. Com isso, mais exames podem ser requeridos para avaliar o estado dos rins, bem como o monitoramento dos fatores de riscos associados. “Se há pessoas com problema renais na família, o acompanhamento deve ser iniciado antes do previsto, mas o mais importante é observar outras condições de saúde da pessoa como outras doenças que podem levar a um quadro de desequilíbrio renal. Eventualmente, um problema no coração pode alterar a recomendação de ingestão de água ou o diabetes pode exigir uma dieta diferente para a pessoa com problemas nos rins. Por isso o cuidado é muito individualizado e o acompanhamento médico, essencial”, destaca a nefrologista.
Além dos fatores de prevenção como dieta e controle de comorbidades, é importante estar alerta aos sintomas, que podem ser discretos e variar, dependendo da causa do problema renal. “De maneira geral, inchaço (edema), cansaço, fraqueza, falta de apetite e sonolência podem ser sintomas de que algo de errado está acontecendo com os rins. Algumas pessoas podem também notar a urina espumosa. Por isso é importante estar atento, pois com o diagnóstico tardio a função renal já deverá estar bastante comprometida, sendo nestes casos necessário um tratamento dialítico ou até mesmo transplante renal. Desta forma, a prevenção e o diagnóstico precoce das doenças renais são essenciais para um tratamento eficaz e maior preservação das funções deles, que são órgãos tão importantes para a saúde”, conclui a médica.