Por Suellen Alencar, G1 MT

Segundo a polícia, o caso ocorreu em julho de 2020, mas foi denunciado somente no dia 28 de outubro.

O empresário foi preso por suspeita de estupro e importunação sexual contra outra jovem de 18 anos. Esse foi o primeiro caso que veio à tona e, depois da denúncia, outras três mulheres foram à delegacia para prestar queixa.

No boletim de ocorrência, a mulher de 24 anos relata em depoimento que ficou amedrontada, pois o empresário pediu que um funcionário saísse do local para ficar sozinha com ela.

Segundo a vítima, o suspeito disse que era influente e que tinha dinheiro para pagar as contas dela.

Nessa ocasião, de acordo com ela, o empresário disse que tinha a intenção de abrir uma conveniência num posto de combustível e que teria que levá-la até o local. No carro, ela afirmou que o empresário passou a mão nas pernas dela ao trocar a marcha do carro.

Ela relatou ainda que o empresário perguntou “a que ponto ela chegaria para assumir uma vaga de emprego”.

A vítima conta que ficou com medo e incomodada com a situação e que respondeu “que não manteria relação com ninguém para garantir emprego”.

Depois disso, a jovem disse que queria ir embora e que foi liberada pelo empresário após garantir a ele que voltaria no outro dia, mas não retornou.

A Polícia Civil afirmou que já são quatro vítimas e que as investigações seguem em sigilo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui