O vereador Wilson Verta (PSDB), presidente da Comissão de Saúde da Câmara Municipal de Tangará da Serra protocolou na manhã desta segunda-feira, 22, denúncia junto ao Ministério Público (MPE) e ao Conselho Regional de Medicina (CRM), referente a falta de equipamentos básicos como EPIs, de profissionais e de um Raio-X móvel, além da sobrecarga de trabalho de médicos no Hospital Municipal.

Verta relata que recebeu a denúncia e decidiu tomar providência, pedindo apoio à Promotoria de Justiça e ao Conselho que representa os médicos.

Segundo ele, o denunciante, que terá o nome preservado para evitar possíveis represálias, afirmou que os pacientes que dão entrada no Hospital Municipal e precisam de UTI, estão sendo atendidos em semi-UTI, que falta equipamentos de proteção individual (EPIs) para funcionários da enfermaria e servidores do SAMU, além disso falta um Raio-X móvel, para atender pacientes que não podem ser removidos, pois estão entubados, bem como falta equipe para atender pacientes nos leitos de UTI, falta fisioterapeuta especializado em ventilação mecanizada e, para completar, os “médicos estão trabalhando em carga horária superior ao permitido pelo CRM”.

Verta pede para que o CRM e o MP investiguem a situação, uma vez que ao exercer o seu dever de fiscalizar as ações do Executivo Municipal, muitas vezes é impedido de acessar as dependências do Hospital Municipal, como ocorreu por várias vezes, não apenas com, mas com outros colega da Câmara e do Parlamento Estadual.

A denúncia protocolada junto ao MP e ao CRM deverá ser analisada pelos dois órgãos, os quais poderão pedir informações ao Município a respeito das prováveis irregularidades.

O Tangará em Foco tem dificuldades em conseguir posicionamentos da Prefeitura e Secretaria Municipal de Saúde sobre os assuntos relacionados à saúde. O espaço está aberto para possíveis esclarecimentos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui