O vereador Romer Japonês (PV) defendeu nesta terça-feira, 23, em entrevista ao Tangará em Foco, o uso do chamado Kit Covid-19 no tratamento de pacientes em estágio inicial da doença provocada pelo coronavírus. O objetivo, segundo ele, é salvar vidas.

Romer explica que o protocolo utilizado pelo Ministério da Saúde, de medicar somente pacientes graves, tem feito com que muito cheguem à fase grave da doença.

O vereador defende que o Estado, por sua vez, deveria investir em kits de medicamentos, composto por hidroxicloroquina, ivermectina e azitromicina, para serem utilizados assim que os pacientes apresentem os primeiros sintomas.

Para ele, isso poderia evitar a lotação de unidades de terapia intensiva (UTI’s), e evitar mortes, sendo possível prevenir casos com o tratamento precoce.

“Gastam milhões com respiradores, mas não tem analgésico, uma ivermectina que seja para o paciente. Como estão demorando a tratar, o paciente já chega [ao hospital] com o pulmão comprometido e precisa ser entubado e ir para a UTI. Gastam milhões, mas não oferecem um kit covid com remédios que custam menos de 50 reais”, defendeu.

Ainda segundo o vereador, algumas cidades de Mato Grosso já adotaram o kit covid. “Falta agora os demais secretários de saúde do estado deixarem de teimosia e adotar o kit para que as pessoas sejam tratadas no início da doença”, defendeu.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui