Segundo Pazuello, vacinação terá início simultaneamente em todo o país

FABIO RODRIGUES POZZEBOM/AGÊNCIA BRASIL

Em encontro nesta quinta-feira, ministro salientou que cronograma depende de reunião da Anvisa no domingo

 Fernando Mellis, do R7

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, afirmou nesta quinta-feira (14) que a vacinação contra covid-19 começará em todo o país na quarta-feira (20), às 10h, se a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) aprovar os imunizantes na reunião marcada para domingo (16).

O presidente da FNP (Frente Nacional de Prefeitos), Jonas Donizette, disse à Record News após a reunião que poderia haver atraso de no máximo um dia — iniciando na quinta-feira (21) — por razões logísticas.

Os municípios não poderão escolher a vacina e receberão as doses na proporcionalidade das suas populações, pontuou Donizetti.

Ao todo, 130 prefeitos participaram do encontro por videoconferência. Donizetti, que foi o único a participar presencialmente, ressaltou que as prefeituras têm seringas e agulhas e que o ministério se comprometeu a repor o estoque em caso de necessidade futura.

Na quarta-feira (13), Pazuello já havia dito que a vacinação começaria ainda em janeiro, acrescentando que a imunização teria início simultâneo em todo o país.

A informação foi repetida aos prefeitos hoje, segundo Donizetti.

“A palavra enfática do ministro é que ele quer tratar o Brasil com igualdade, todo o território nacional.”

Segundo ele, o ministério tem condições de distribuir vacinas a todas as unidades da federação dentro de três ou quatro dias após a liberação da Anvisa.

O Ministério da Saúde aposta na aprovação para uso emergencial de um lote de 2 milhões de doses da vacina Oxford/AstraZeneca, que chegará da Índia no fim de semana, além de 6 milhões de doses da CoronaVac, já em posse do Instituto Butantan.

O voo da companhia aérea Azul que decolaria hoje do Brasil para a Índia teve uma alteração e partirá amanhã. Por causa disso, ainda há dúvidas em relação ao cronograma.

A reunião da Diretoria Colegiada da Anvisa poderá decidir sobre os dois pedidos no mesmo dia.

Ainda de acordo com o presidente da FNP, o governo vai apresentar informações consolidadas em uma cerimônia, possivelmente no Palácio do Planalto, na segunda-feira.

Na reunião, Pazuello disse aos prefeitos que o país terá 80 milhões de doses de vacinas disponíveis até abril.

Doria quer evitar “clima de competição”

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui