Por Flávia Borges, G1 MT

G1 tenta localizar a defesa de Meraldo Sá.

“Por maioria o Pleno deu provimento ao agravo nos termos do voto divergente proferido pelo 4º vogal – Fábio Henrique em consonância com o parecer do Ministério Público Eleitoral”, diz trecho da decisão.

Meraldo deve recorrer ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que vai julgar se ele vai ser em possado ou se nova eleição deve ser realizada no município.

Meraldo foi condenado em 2018 por improbidade administrativa em uma ação do Ministério Público que o acusou de ter realizado despesas não autorizadas quando era vereador em Acorizal, entre 2001 e 2012.

Segundo o MP, foram realizadas despesas de pagamento de transporte escolar e jardinagem sem qualquer ligação com os serviços da Câmara de Acorizal.

Meraldo Sá foi sido eleito com 2.543 votos no último dia 15 de novembro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui