Segundo o presidente, seu governo fez o certo para estimular a recuperação econômica: ‘Lá fora já estão recomendando comprar reais’

O presidente Jair Bolsonaro fez críticas nesta terça-feira (27) ao suposto aumento de impostos promovido pelo Governo de São Paulo durante a pandemia.

“São Paulo aumentou barbaramente produtos da cesta básica. Lamentavelmente. Está cobrando imposto até do cara que tem deficiência e está comprando carro”, disse o presidente a apoiadores pouco antes da reunião com ministros nesta manhã.

O chefe do Executivo federal se referia ao projeto de ajuste fiscal do governador de São Paulo, João Doria, que entre outras mudanças, retira isenções do ICMS.

MP-SP se manifesta contra ajuste fiscal proposto por João Doria

Segundo o presidente, se não fosse o trabalho de sua equipe econômica, com auxílio emergencial, socorro às micro e pequenas empresas e rolagem de dívida dos Estados, a crise econômica seria muito pior atualmente.

Doria diz que fala de Bolsonaro sobre compra da vacina é criminosa

“Aquela recomendação, sabe: fique em casa. Lembra que eu falava: tem que tratar do vírus e da economia.  Olha o problema aí”, comentou Bolsonaro.

“Nós, sim, não aumentamos impostos, Agora o Estado que é o mais importante da economia do Brasil dá esse péssimo exemplo.”

De acordo com o presidente, já há provas da recuperaçao econômica do país. “Lá fora estão recomendando reais”, afirmou.

A seu lado, o ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que no mês passado foram criadas 250 mil vagas de trabalho e 300 mil empresas foram abertas. “A recuperação está sendo em V, como achávamos”, disse ele.

Antes de falar sobre a pandemia, Bolsonaro também cutucou outro adversário político, Flavio Dino (PCdoB), governador do Maranhão, ao conversar com um apoiador que mora no Estado: “Tem que tirar o PCdoB de lá. Só aqui no Brasil [há] comunista falando que é democrático”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui