Ministro Benedito Gonçalves confirmou em colegiado a própria decisão, que tirou Witzel do cargo na sexta (28). Voto já foi seguido por dois ministros

    • Do R7
Wilson Witzel, afastado do governo do Rio de Janeiro
Antonio Lacerda/EFE – 28.08.2020

O ministro Benedito Gonçalves, do STJ (Superior Tribunal de Justiça), votou nesta quarta-feira (2) para manter o afastamento do governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC).

Em seguida, os ministros Francisco Falcão e Nancy Andrighi corroboraram a decisão de Gonçalves e também defenderam o afastamento. Com isso, o placar ficou 3 a 0 pela saída de Witzel do Executivo.

A Corte Especial vota hoje se mantém ou não a determinação de Gonçalves, que, em um despacho individual da última sexta-feira (28), ordenou o afastamento de Witzel por 180 dias após pedido da PGR (Procuradoria-Geral da República). Ele é suspeito de desvios de dinheiro destinados a saúde em meio a pandemia do novo coronavírus. O suspeito nega as acusações.

A Corte Especial é composta por 15 ministros, mas quatro se declararam suspeitos por ligação com os advogados de defesa e não participam. São necessários dez votos para a manutenção do afastamento.

Toffoli nega pedido de Witzel para adiar julgamento no STJ

O julgamento começou pouco após às 14h. Ministros que participam do julgamento são: Benedito Gonçalves (relator), Raul Araújo, Isabel Gallotti, Antonio Carlos Ferreira, Villas Bôas Cueva, Marco Buzzi, Francisco Falcão, Nancy Andrighi, Laurita Vaz, Maria Thereza de Assis Moura, Napoleão Nunes Maia Filho, Og Fernandes, Luis Felipe Salomão, Mauro Campbell Marques, Humberto Martins (presidente).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui