Sinop — Foto: Drone Cuiabá

Por G1 MT

A decisão foi tomada a partir de um consenso entre o Legislativo e o Executivo. O decreto é passível de ser prorrogado.

Além de comércios e serviços, o decreto também veda a atividade de trabalhadores informais, serviços de entrega no sistema delivery e, ainda, rede de ensino superior e correlacionados.

De acordo com a prefeitura, já foram aplicadas medidas anteriores na intenção de conter a disseminação e contaminação pelo vírus, no entanto, os números crescem aumentando, assim, a taxa de ocupação das UTI’s. Somente no mês de janeiro foram registrados 24 óbitos como causa morte o coronavírus.

A medida não vale para serviços como tratamento e abastecimento de água e esgoto, captação e tratamento de esgoto e lixo, geração, transmissão e distribuição de energia elétrica e gás, postos de combustíveis, com exceção de suas lojas de conveniência, assistência médica e hospitalar, clínicas veterinárias, clínicas odontológicas e clínicas médicas em regime de emergência, distribuição e comercialização de medicamentos e laboratórios clínicos, funerárias e serviços relacionados, telecomunicações, processamento de dados ligados à serviços essenciais, segurança privada, serviços de taxi e aplicativo de transporte individual remunerado de passageiros, imprensa, profissionais da área fim da saúde, servidores públicos das áreas de fiscalização das Secretarias Municipais de Meio Ambiente, Mobilidade Urbana e Ordem Pública, quando em pleno exercício da função, setor de hotelaria, advogados no exercício de sua profissão.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui