Mulher apontada pela Polícia como mentora do crime contra idoso de 81 anos

Apontada como mentora do latrocínio executado contra o idoso de 81 anos, José Pereira Neto, conhecido como seu ‘Zé Raizeiro’, foi presa em uma operação conjunta entre as Polícias Civil e Militar de Tangará da Serra. Ela estava foragida desde a execução do crime que chocou a cidade.

De acordo com o Delegado da PJC, Adil Pinheiro de Paula, Eine Indiara é ex-funcionária do idoso, tendo trabalhado em seu comércio de outubro a dezembro do ano passado, quando acabou sendo demitida. “Ela é a principal responsável por essa atrocidade feita com a vítima. Como ela trabalhou lá, tinha todas as informações privilegiadas de onde havia dinheiro na casa e principalmente a facilidade que eles encontrariam por se tratar de um senhor de 81 anos que passava algumas noites sozinho no local”, informou o Delegado.

O Delegado revelou ainda que a mulher presa já havia praticado furto no comércio de seu Zé Raizeiro, e que o mesmo, inclusive já havia registrado um boletim de ocorrência contra ela. “A crueldade com que a vítima foi tratada, justamente partiu dessa ex-funcionária que estava com raiva dele por ter sido demitida”, completou.

“A tortura praticada demonstra que a pessoa que fez aquilo tinha um sentimento de vingança, não queria apenas roubá-lo e sim torturá-lo, tanto que as investigações apontam para prática de tortura e latrocínio, dos dois crimes em conjunto”, afirmou Adil Pinheiro.

LAUDO DO IML

Segundo o Delegado, a polícia aguarda o laudo do Instituto Médico Legal (IML) para comprovar a prática de tortura antes de ser praticado o crime de roubo e consequentemente a morte da vítima. “Temos que analisar se a vítima morreu em decorrência das torturas ou se foi assassinada por essa ex-funcionária e seus comparsas”, acrescenta.

Adil Pinheiro pontua que o indivíduo que foi preso pela Polícia Militar, Fernando Figueiredo Santana, teve participação efetiva. “Ele foi convidado justamente por essa ex-funcionária. Os dois residiam em umas kit nets, no mesmo local, aos fundos de um bar. Ela o convidou para fazer um roubo e ele entendeu que seria um roubo simples, porém, quando entrou na residência o idoso já estava amarrado com os pés e mãos e já desacordado em decorrência das agressões praticadas por essa ex-funcionária”, revelou o Delegado.

PARTICIPAÇÃO DE UM TERCEIRO

Fernando Figueiredo Santana, confessou sua participação

As investigações da polícia trabalham com a possibilidade de participação de uma terceira pessoa na execução do crime. “Trabalho em conjunto da Polícia Civil com a Polícia Militar que culminou na prisão de dois envolvidos no latrocínio, acreditamos ainda que há o envolvimento de mais uma pessoa”, frisa o Delegado Adil Pinheiro.

Segundo ele, a investigação busca saber se há ou não a participação de uma terceira pessoa com maior ou menor importância na execução do crime. Ao ser preso, Fernando Figueiredo Santana, confessou sua participação e deu detalhes de como a ação se desenrolou.

A MENTORA

“O que me deu a certeza que a ex-funcionária é a mentora do crime é que eles sabiam detalhes da residência, detalhes da rotina da vítima, onde havia dinheiro e até onde estava a chave do cofre. Só alguém de dentro da casa para ter esse tipo de informação. Este homem foi preso e confessou tudo, já a ex-funcionária está irredutível, se diz inocente, mas as provas são contundentes e mostram que ela teve participação”, disse.

A polícia informou que os criminosos levaram R$ 5 mil em dinheiro do cofre do idoso, e que desse montante, R$ 4 mil teria ficado para Eine Indiara e R$ 1 mil para Fernando.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui