Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT) — Foto: Assessoria

Por G1 MT

Conforme dados da Secretaria Estadual de Saúde (SES), Santo Antonio do Leverger registra 477 casos de Covid-19 e 22 mortes. Barão de Melgaço, 173 casos e 7 mortes. Já Peixoto de Azevedo registra 1.945 casos e 51 óbitos.

Com estado de calamidade pública decretado, os prefeitos ficam autorizados a abertura de crédito extraordinário, bem como as movimentações de dotações por meio de transposição, remanejamento, transferência e utilização da reserva de contingência, dando-se imediato conhecimento ao Poder Legislativo correspondente.

A contratação emergencial de pessoal e a autorização de despesas extraordinárias devem observar os termos dispostos na legislação local, destinadas exclusivamente à situação de calamidade pública.

Os atos e despesas decorrentes da situação de calamidade pública devem ser divulgados amplamente no correspondente Portal de Transparência.

Cabe ao Tribunal de Contas o controle e a fiscalização dos atos praticados enquanto perdurar o estado de calamidade pública, na forma da legislação pertinente, ficando os órgãos interessados da Administração responsáveis pela demonstração da legalidade e regularidade dos atos administrativos, da despesa e sua execução.

“Em virtude da pandemia pela qual passa o estado, a Mesa Diretora decidiu reconhecer o estado de calamidade pública nos municípios elencados no projeto exordial. Por motivo do inesperado ataque na saúde pública, o cumprimento de prazos legais ficam prejudicados. Existe também a necessidade de contratação imediata de pessoal para fazer frente as necessidades emergenciais, realizar gastos não previstos inicialmente no processo de elaboração, votação e execução da Lei Orçamentária Anual. Por isso existe a necessidade de realização de gastos pelo executivo, os quais dependem do reconhecimento do estado de calamidade pública pelo Poder Legislativo”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui