Redação DS 

Preocupados, médicos reforçam pedidos de cuidados a tangaraenses neste final de ano

Tangará da Serra tem hoje 61 pessoas em isolamento domiciliar pois testaram positivo para o Covid-19. Porém há ainda outros 17 pacientes internados em enfermarias públicas e privadas e outros 16 em uma Unidade de Tratamento Intensivo (UTI), o que preocupa as autoridades.

“Ontem [domingo] esgotaram-se os leitos de UTI na rede privada. Tivemos que transferir pacientes para Cuiabá (que hoje acabaram-se leitos disponíveis), criando plano de contingência e avaliando leitos fora do estado se precisarmos (isso deve ocorrer)”, desabafa o médico Ricardo Antonio Gonsales, em grupo de whatsApp. “O percentual e número de casos positivos aumentaram e muito, os leitos acabaram no município na rede privada, e elevando a ocupação na rede pública. (…) e peço encarecidamente que se cuidem”.
Assim como ele, outros profissionais manifestaram sua preocupação. “Infelizmente a população “cansou” de se cuidar , porém  estamos com a pandemia em alta e o número de casos batendo em valores alarmantes. Infelizmente não temos vacinas disponíveis. Por isso é importante manter os cuidados, evitar aglomerações para que não tenhamos que conviver com as consequências  que culminam com a perda de pessoas do nosso convívio. Todos nós que estamos na linha de frente, estamos nos esforçando para dar o melhor, mas  devido alguns colegas médicos também estarem afastados devido estar com covid, os atendimentos estão mais lentos por esta razão. Por isso solicito a todos um pouco de compreensão neste momento  e cuidem-se. Neste momento a prevenção é a melhor conduta”, completa o médico Gervásio Lima Brito, da rede privada, que assim como a pública, está atendendo diariamente um número muito grande de pessoas com sintomas da doença.

“Os profissionais de saúde tem se desdobrado para dar conta de toda a demanda, muitos abrindo mão de suas vidas particulares. Em sua maioria estão exaustos e adoecendo físico e mentalmente, para que sua saúde, e de seus familiares, esteja em primeiro lugar. Fato é que grande parte da população vem desrespeitando as orientações sanitárias e contribuindo para disseminação do vírus em nosso meio. Os hospitais estão sobrecarregados. Nos últimos dias, uma UTI da rede privada, não tem 1 leito sequer disponível para pacientes com Covid. E na rede pública, dos 13 leitos de UTI disponíveis, 9 já estão ocupados na data de hoje [segunda-feira, 28]”, alerta o médico de família da Unidade de Saúde Vila Esmeralda, Doutor Gabriel.
“Acabamos de passar pelo Natal, e o mínimo que devemos ter é compaixão pelo próximo. Hoje já são quase 100 mortos pela Covid em Tangará da Serra. Muitos deles pessoas próximas, amigos e até familiares. Portanto, os profissionais de saúde precisam de você. Sem você há chances de perdermos esta batalha. Antes de descumprir as orientações sanitárias, reflita e pense nestas quase 100 vidas que foram. Não sabemos o dia de amanhã”, completa.
Conforme boletim, o número de casos confirmados no município desde o início da pandemia é de 7.402. Destes 7.212 pacientes estão curados, isto é, 97,43%, e o número de mortes de pacientes diagnosticados com a doença na cidade chegou a 96.
Manifestação do Executivo
Sobre esse aumento de casos, o prefeito de Tangará da Serra, Fábio Junqueira usou as redes sociais para se manifestar.
Na publicação, Junqueira afirma que as regras que restringem aglomerações e estabelecem restrições estão em vigor e que há também penalidades estabelecidas para infrações contra medidas sanitárias. “O uso de máscaras, álcool 70, água e sabão, distanciamento social, e outras medidas não farmacológicas continuam vigentes. Eventos sociais não podem ultrapassar cem pessoas. Eventos empresariais não podem ultrapassar 200 pessoas. As aglomerações públicas em praças, ruas e avenidas continuam restritas.  As pessoas é que precisam se engajar para contribuir para evitar a disseminação viral”, afirma.
“Estamos mais uma vez pedindo que evitem eventos com aglomerações neste final de ano.  Com a colaboração de todos, a estrutura de saúde não entra em dificuldades e atende a todos. Não adianta pensar que médicos e equipes de enfermagem são imunes, que não vão se contaminar e que no caso deles não será grave pois eles são preparados para não ficarem doentes. Isso não é  verdade. São pessoas humanas que correm os mesmos riscos ao atenderem nossos pacientes. Precisam de respeito e apoio de todos para que possam fazer o necessário para cuidar da vida de nossos pacientes.  Evitar o contágio ainda é  a melhor forma de ajudar”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui